A obesidade é provavelmente o mais antigo distúrbio metabólico, Há relatos da ocorrência desta desordem em múmias egípcias e em esculturas gregas. Esse distúrbio pode ser definido, de forma simplificada, como uma doença caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal, sendo conseqüência de balanço energético positivo e que acarreta repercussões à saúde, com perda importante não só na qualidade como na quantidade de vida.

É considerada a mais importante desordem nutricional nos países desenvolvidos, uma verdadeira epidemia mundial, tendo em vista o aumento de sua incidência que se distribuí em quase todas as raças e sexos.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a ocorrência da obesidade nos indivíduos reflete a interação entre fatores dietéticos e ambientais com uma predisposição genética. Contudo, existem poucas evidências de que algumas populações são mais suscetíveis à obesidade por motivos genéticos, o que reforça serem os fatores alimentares – em especial a dieta e a atividade física – responsáveis pela diferença na prevalência da obesidade em diferentes grupos populacionais.

Dentre os fatores alimentares, pode-se destacar o excesso de energia e, principalmente, de gorduras, favorecendo o aumento da adiposidade, Outro aspecto nutricional é quanto a freqüência alimentar, já que os indivíduos que consomem maior número de pequenas refeições ao longo do dia apresentam peso relativamente menor do que aqueles que consomem número menor de grandes refeições.

Quanto à prática de exercícios físicos, já é consenso que à medida que a sociedade se torna mais desenvolvida e mecanizada, a demanda por atividade física diminui, diminuindo o gasto energético diário.

Então surgem dúvidas sobre qual seria a melhor forma de treinamento para diminuição e ou manutenção do percentual de gordura, com isso é importante saber que é indicado tanto o treinamento aeróbio como o treinamento de força (musculação), esse que proporciona um aumento da massa magra (músculos). Esse aumento acelera o metabolismo basal, fazendo o corpo gastar mais energia em repouso e em longo prazo, isso proporcionando a manutenção da massa magra e contribuindo para o emagrecimento.

Entre os benefícios do treinamento aeróbio, um dos mais importantes é a diminuição do peso corporal e da porcentagem de gordura, melhorando o condicionamento cardiorrespiratório e fortalecimento dos músculos, com isso favorecendo a perda de gordura e conseqüente redução de peso.

Contudo a obesidade pode ser considerada uma epidemia mundial, e que pode proporcionar o surgimento de várias doenças crônico-degenerativas como hipertensão, diabetes, dislipidemia, doenças do coração, entre outras enfermidades, e como forma de tratamento não farmacológico surge a prática regular de exercícios físicos, combinados com uma dieta saudável.

Anúncios